10/07/2018

Girassol compensa mais que milho 2ª safra, dizem produtores de Mato Grosso

Agricultores do município de Campo Novo do Parecis, principal polo do grão no estado, estão animados com resultado da safra, com remuneração da cultura e com benefícios trazidos ao solo

   A colheita de girassol começou em Campo Novo do Parecis (MT), principal município produtor do grão no Brasil. Os agricultores estão otimistas com a safra e com a remuneração, e afirmam que, por lá, a cultura está compensando mais do que o milho segunda safra. O preço médio da saca de girassol na região tem girado entre R$ 65 e R$ 70. Os grãos produzidos em Campo Novo do Parecis vão para empresas de alimentos para pássaros e para uma indústria de óleo e farelo.
   A procura pela semente tem valorizado a cultura na região. De acordo com a presidente do sindicato rural do município, Giovana Veke, quando a produção do grão ocorre sem problemas, ela é muito mais compensadora que a do milho segunda safra. "São contratos fechados, em que você já sabe o tanto que você vai receber e quando, não fica nessa instabilidade financeira dependente da economia, do mercado exterior. Você consegue fazer um planejamento financeiro melhor do seu negócio", diz ela. A produtora Carina Kurtz Stefanelo conta que, mesmo com aumento de chuvas na região em fevereiro, a produtividade não foi afetada. "Está até um pouco acima das expectativas e estamos muito contentes", diz. Ela espera que a produção por área fique em torno de 31 sacas por hectare, sete a mais do que a média colhida no ano passado.
   Carina mantém uma lavoura de 2.100 hectares de girassol. Além do otimismo com os resultados, ela também se anima com a "herança" deixada pela cultura no solo. "A soja que vem depois também responde muito bem", diz ela.

Produção de girassol deve crescer 73% em Mato Grosso

  Antônio César Brólio também comemora os bons resultados alcançados com o grão. Ele já colheu 70% da área e aguarda que o restante da lavoura chegue no ponto para dar sequência aos trabalhos. Até aqui, a produtividade média foi de 32 sacas por hectare.
  A venda antecipada da produção por um preço satisfatório confirmou para Brólio que ele fez a melhor aposta para a segunda safra. "Nesta época, você não conseguiria ter um retorno no milho igual ao que a gente teve no girassol", diz.O produtor conta que cultiva girassol em consórcio com braquiária, o que renderia também melhor retorno para a cultura principal da propriedade, a soja. "A gente tem conseguido plantar a soja mais cedo, devido à palhada que está sendo mantida no solo, e isso exige menor investimento", afirma Brólio.
   Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a produção total de girassol em Mato Grosso deve saltar 73% nesta safra, saindo de 53 mil toneladas para 91,8 mil toneladas. Além do maior rendimento por hectare, a expansão das lavouras contribuiu para a elevação da produção total: de uma temporada para outra, a área evoluiu de 31,8 mil para 60,5 mil hectares.

Fonte: Canal Rural
Pedro Silvestre, de Campo Novo do Parecis (MT)

Página Inicial GH|Agência Digital