10/07/2018

Canola atrai cada vez mais o produtor gaúcho pela sua rentabilidade

O cultivo de canola no Rio Grande do Sul vem se expandindo em área nos últimos anos. Utilizada como cultura principal ou cultura complementar, a espécie da família das crucíferas cresce e se aproxima da soja em valor de mercado. Cultivada desde 1974 no Estado, a canola ascendeu economicamente nos últimos anos, devido ao baixo custo de produção, a rentabilidade e as condições térmicas propícias para o seu plantio.
    O pesquisador da Embrapa Trigo, Gilberto Tomm, justifica o fato da área de plantio da canola ter se estabilizado nos últimos anos. "A probabilidade é de que esteja ocorrendo uma manutenção da área semeada (sem ingresso de novas áreas)", afirma Gilberto Tomm, pesquisador da Embrapa Trigo, com sede em Passo Fundo (RS). O pesquisador estima em torno de 32 mil a 40 mil hectares plantados no Estado. Na Região de Palmeira das Missões, o produtor  Vilson Baumgratz, que há quatro anos investe na cultura, prevê um crescimento de mais de 30% na área semeada neste ano (1.050 hectares), em comparação a 2017. 

Fonte: Jornal do Comércio

Página Inicial GH|Agência Digital